Reserva de Emergência: O que é? Qual o valor necessário? Como obtê-la?

Com a construção da reserva de emergência temos flexibilidade de lidar com imprevistos e também de aproveitar oportunidades que possam aparecer. Descubra nesse post o que é a reserva de emergência, como conquistá-la e onde investir.

Se acontecesse um imprevisto, como uma batida do carro, uma doença inesperada ou qualquer outro fato indesejado e você tivesse que arcar com essa despesa, você teria uma reserva financeira disponível para esse tipo de ocorrência? Ou, se você recebesse a oportunidade de investir em um negócio promissor, com alto potencial de retorno, cujo valor de capital necessário fosse 6 vezes o seu salário, você teria capital para aproveitar essa oportunidade?

Pois é, caso você tenha respondido NÃO para as duas perguntas, talvez você pertença ao grupo de 84% dos brasileiros que não possuem reserva financeira de pelo menos R$2.500,00, o equivalente  a  2,7 vezes o salário mínimo (Pesquisa Banco Mundial, 2015).

Esses dados indicam que o brasileiro não está preparado para imprevistos e para oportunidades financeiras. Isso reflete o quão frágil está a situação financeira do brasileiro.

A nossa proposta nesse post é apresentar os riscos que se incorre por não possuir reserva financeira, cujo principal, é a chance de se deparar num endividamento.  Além de perder excelentes oportunidades de investimentos.

Vamos lá?

 

O que é reserva de emergência e a qual a sua importância?

A reserva de emergência é a primeira meta financeira de um bom planejamento em finanças pessoais. Priorizar outros objetivos é arriscado e muitas vezes insustentável no médio e longo prazo, pois caso ocorra um imprevisto ou oportunidade, esses objetivos ficarão estagnados.

A reserva de emergência no planejamento financeiro pessoal é como o capital de giro nas finanças empresariais, logo, é uma peça fundamental para um projeto de independência financeira.

Em linhas gerais, a reserva de emergência tem uma função racional e principalmente emocional para a sua vida financeira e de sua família, pois dá tranquilidade, flexibilidade e segurança em caso de uma descapitalização imprevista.

 

Quanto ter de reserva de emergência?

O capital da reserva de emergência está diretamente relacionado com as suas despesas mensais, tanto as despesas fixas quanto as eventuais. Assim, cabe a você ter clareza dos seus gastos, desde aluguel, condomínio, água, telefone [gastos fixos] a despesas como alimentação, farmácia, lazer, transporte e etc.

Com a consciência dos seus gastos mensais, o montante da reserva de emergência deve ser o equivalente de 6 a 12 meses dessas despesas mensais.

Portanto, se seu gasto mensal é de R$2.000,00, então sua reserva de emergência deve ser estimada entre R$12.000,00 a R$24.000,00.

Como citado anteriormente, o valor recomendado da reserva de emergência está relacionado com as suas despesas mensais, assim, em caso de aumento salarial, devido uma promoção, por exemplo, seria uma boa prática que você não aumentasse seu padrão de vida de forma imediata, e sim, começando adequar o valor da sua de emergência.

Lembre-se sempre, a reserva de emergência deve ser sua prioridade nº 1 na sua vida financeira.

 

Investindo a reserva de emergência

Não guarde a reserva de emergência na sua conta corrente! Esse capital deve está separado da sua conta principal, inclusive investido, rendendo juros. Mas aonde investir? Felizmente, não existe investimento perfeito! Cada investimento tem um ponto positivo e um ponto negativo e para cada meta ou objetivo financeiro, existe um investimento adequado e no caso da reserva de emergência não é diferente.

Procure investimentos de perfil conservador e com alta liquidez, isto é que você possa resgatar a qualquer momento sem ter que esperar muitos dias. Sugerimos investimentos conservadores e de baixo risco, pois quando o assunto é reserva de emergência a palavra principal é segurança. Então, não faz sentido colocarmos o capital da reserva de emergência na renda variável (mercado de ações, por exemplo), devido alta volatilidade, isto é, alta variação dos preços. Assim como também não recomendamos, investir em imóveis, devido baixa liquidez.

Você pode investir a sua reserva de emergência nos seguintes investimentos, por exemplo, CDB’s, LCI e LCA com liquidez diária de grandes e médios bancos, fundos DI, de renda fixa e Tesouro Selic.

Falando em estratégia de investimento é importante realizarmos a seguinte reflexão:

 

“Quando pretendo utilizar a reserva de emergência?”

Na verdade todos nós esperamos nunca utilizarmos essa reserva para uma emergência! Pensando nisso costumamos atentar que apesar da rentabilidade nominal de CDB’s e Fundos de investimento; o Tesouro Selic, ainda que cobre a taxa de custódia da Bovespa (0,3% a.a) é uma excelente opção. Isso porque o Tesouro Selic tem prazo de vencimento mais longo diferente dos CDB’s de liquidez diária ou fundos que, respectivamente a cada 2 anos e 6 meses, há incidência de imposto de renda diminuindo consideravelmente o efeito do juros compostos na rentabilidade do capital investido.

Fazemos esse tipo de reflexão porque já tivemos clientes que não utilizaram a reserva de emergência por mais de 5 anos, entretanto, teve que renovar o CDB por três vezes pagando imposto de renda de 15% do lucro  em todo o reinvestimento, enquanto no Tesouro Selic só pagaria no resgate e a taxa de custódia semestralmente (0,3%a.a ). Assim, pode ser uma boa opção alocar parte da sua reserva de emergência no Tesouro Selic e outra em um CDB ou fundo DI, por exemplo. E, caso necessite de um montante parcial da reserva de emergência o Tesouro Selic deve ser o último a ser resgatado.

Outra boa prática é tirar a reserva de emergência do seu “raio de visão”. Por experiência própria, coloque esse capital em uma conta bancária ou corretora secundária, tanto para segregar o capital da reserva de emergência dos demais investimentos, quanto para evitar a utilização desse montante de maneira impulsiva sem que ocorra uma emergência de fato. Tenha em mente que o capital da reserva de emergência deve ser utilizado para esse fim: para uma emergência ou uma oportunidade de investimentos. Não se esqueça disso – Emergência é diferente de Desejos!

 

Estratégias aceleradora para construir a sua reserva de emergência

Já parou para pensar, por quanto tempo você terá que poupar por mês para obter o equivalente a 12 vezes de suas despesas mensais? Pois é, se você está começando hoje a construção de sua reserva de emergência e poupa 10% do seu salário mensal para a construção da reserva, bem provável que demorará cerca de 10 anos para atingir o capital desejado o que é bastante desanimador. Pensando nisso listamos 7 ações para você alavancar a construção da sua reserva de emergência. Coloque em prática o quanto antes:

  • Coloque a sua reserva de emergência como prioridade número 1 na sua vida financeira;
  • Tenha clareza do seu orçamento e avalie quais despesas são essenciais e quais não te agregam qualidade de consumo;
  • Não despreze os pequenos valores nem uma boa negociação;
  • Tenha uma meta de poupança mensal de no mínimo 10% e acompanhe mês a mês;
  • Invista o que você poupar mensalmente;
  • Inclua seus familiares e amigos nesse projeto de educação financeira;
  • Tenha uma renda extra e invista integralmente para a reserva de emergência.

 

Reserva de Emergência: Esse nome não ajuda

Até esse momento da leitura você já deve ter percebido a importância da reserva de emergência, e que esta, é  a melhor maneira de se preparar para imprevistos.

Ao mesmo tempo em que garante uma flexibilidade para seu orçamento, ela também dar maior segurança e tranquilidade para sua família, pois caso um imprevisto ocorra, menores serão as chances de pedir empréstimo bancário ou ajuda para familiares e amigos. Entretanto, gostaríamos de fazer a seguinte observação:

Se você está poupando e investindo para a construção da reserva de emergência, o que tem grande chance de acontecer? Uma emergência!

Sei o quanto as emergências ocorrem e que certamente elas vão ocorrer um dia, mas é fundamental mudarmos nosso mindset¹ de pouparmos para emergências e sim para oportunidades que também podem e vão ocorrer. Tanto os imprevistos quantos as oportunidades têm a mesma probabilidade de ocorrer: 50% cada! Por isso, aqui na Metas Financeiras chamamos a Reserva de Emergência de Reserva de Liquidez, trata-se de um dinheiro que devemos ter líquido para um fim qualquer, seja um fim positivo ou negativo.

E você, como prefere chamar a sua reserva financeira: Reserva de Emergência ou Reserva de Liquidez?

Escreva abaixo nos comentários o que você achou do post e como você prefere chamar sua reserva, isso é essencial para uma vida financeira mais próspera.

 

¹mindset : mentalidade, forma de pensar