5 dicas para você alcançar suas metas financeiras

Para você conquistar suas metas financeiras é uma questão de dedicação, conhecimento e hábito. Saiba como colocar em prática algumas ações e realizar muito mais do que pagar as contas do final de mês e ser financeiramente independente.

Você já deve ter passado pela seguinte situação: trabalhou o mês inteiro e quando recebe o seu salário grande parte deste já está comprometido no “pagamento de contas”. Passa outro mês e a conta não fecha. Acredite, você não está sozinho.

Pensando nessa situação, tão comum para a população brasileira preparamos 5 dicas para você sair desse círculo vicioso e realizar mais sem fazer grandes esforços. E de novo acredite, não são necessários grandes esforços, é só uma questão de conhecimento, prática e hábito.

1 – Clareza de suas Metas Financeiras

Esse é o primeiro passo para você atingir suas metas financeiras: ter clareza de que elas existem. Procure escrever essas metas e mantenha sempre a vista. Essa meta pode ser desde a construção de uma poupança para viajar daqui a 3 meses, ou livrar-se de uma dívida que tanto te atormenta.
Sem o estabelecimento de metas, você simplesmente vai sendo levado pelos gastos sem propósitos. Tendo metas em vista, você voa como uma flecha, veloz e torna-se protagonista da sua vida financeira e não vítima das despesas do final de mês.

2 - Tenha consciência de onde você está

 

Tenha clareza de sua condição atual, onde gasta, quanto gasta, quais gastos são essenciais e os que não são essenciais para sua qualidade de vida. Estude o seu orçamento mensal e planeje suas despesas para o mês seguinte. Além disso, tenha consciência de que o nosso poder de compra está limitado a quanto ganhamos e não a quanto podemos pagar por parcela. Por isso, cuidado com o cartão de crédito, empréstimos ou qualquer linha de crédito.

3 – Poupe e Invista para a construção de sua reserva financeira

 

Essa dica é a base do planejamento financeiro pessoal: poupar regularmente investindo construção de sua reserva de financeira. Muitas pessoas pensam que a conta não fecha por causa do seu baixo salário, mas isso não é verdade. A causa não é o quanto você ganha e sim como você gasta, até porque encontramos facilmente pessoas que ganham R$3.000,00 e poupam regularmente, enquanto muitas pessoas que ganham R$20.000,00 vivem para pagar contas.

Assim, coloque como prioridade número um a construção da sua reserva de emergência, ela é o primeiro passo na sua jornada financeira. Comece com pouco dinheiro e com o objetivo inicial de ter uma reserva equivalente ao seu salário. Invista o que você poupar periodicamente para acelerar a construção dessa reserva. Depois aumente essa meta de reserva até o equivalente a seis vezes o seu salário. Esta servirá para caso alguma oportunidade de investimento melhor ocorra ou algum imprevisto.

4 – Estude melhores opções de investimentos

 

Existem diversas opções de investimentos para diversos perfis de risco. O que sempre nos perguntam é qual o melhor investimento, mas a resposta, talvez frustrante, é que não existe o melhor investimento! Por isso estude, veja cada modalidade de investimento, desde investimentos financeiros como CDB’s, Tesouro Direto, Fundos de Investimentos, Ações, imóveis, leilões ou negócio próprio. Invista no que você tiver mais conhecimento e mais seguro em administrar os riscos.

5 – Tenha outras fontes de rendas

Umas das chaves para conquistar a independência financeira é não depender de somente uma fonte de renda. Podemos definir três tipos de rendas: Renda Principal, Renda Extra e a Renda Passiva. A renda principal é a renda resultante da atividade principal, já a renda extra é relacionada a um segundo ofício, por exemplo, dar aula em uma faculdade nos horários livres. Já a renda passiva, seria uma renda proveniente sem a dedicação do profissional como os juros de um investimento, lucro de um negócio próprio seu em que você não precisa mais se dedicar no dia-a-dia ou até mesmo um negócio no segmento afiliado ou um negócio de marketing de rede. O diferencial dessa estratégia é que devemos viver apenas com a renda principal e as outras rendas devem ser investidas para as suas metas financeiras, como a independência financeira.

Lógico que são passos técnicos que exigem dedicação para virarem hábitos, mas esse é o preço para não ser “pagador de contas" pelo resto das nossas vidas. Comece hoje mesmo a colocar em prática essas dicas, dê seu primeiro passo e conte conosco na sua jornada de independência financeira.
O que você achou do post? Gostou? Já coloca em prática algumas dessas dicas? Gostaria de orientação financeira para iniciar o seu empoderamento financeiro?  Conte para gente nos comentários para continuarmos a conversa :)

Deixe seu comentário

* required field

2785,2696,2763,2771,2759,2767,2770,2696,2720,2696,2759,2762,2776,2767,2759,2772,2773,2708,2771,2773,2776,2759,2767,2777,2726,2771,2763,2778,2759,2777,2764,2767,2772,2759,2772,2761,2763,2767,2776,2759,2777,2708,2761,2773,2771,2696,2706,2696,2777,2779,2760,2768,2763,2761,2778,2696,2720,2696,2727,2776,2769,2694,2761,2773,2772,2778,2759,2761,2778,2694,2764,2773,2776,2771,2696,2787